Momentos DipnLik

Novo visual e bem melhor

de: Fabio
Tenho três sobrinhos muito queridos, filhos dos meus irmãos (bem) mais velhos, com os quais tenho uma diferença de idade relativamente pequena. Pois é justamente esta diferença que faz com que me dê tão bem esses meninos, que me coloca menos como tio e mais como um irmão mais velho, uma amigo, um camarada, do Renato, do Rodrigo e do José Pedro. Eu adoro cultura pop, seriados, gibis, cinema, música, bandas e tudo dos maravilhosos anos 80 e 90, quando eu era criança e adolescente. E por ser tão ligado nestes temas, a ponto de colecionar bonecos, revistas e muitas outras curiosidades “vintage”, acabei passando a eles um pouco deste meu gosto. Eles sempre passam na casa dos meus pais (bem, são os avós deles...), onde moro, sempre querendo saber mais.

Daí que uma tal “passadinha pra dar um tchau para o tio” acaba virando uma tarde deliciosa, como muitas risadas, muitas vezes na frente da TV! Como não poderia faltar, amamos DipnLik, que era o “doce” que vivia na boca de todos os pirralhos daqueles bons tempos. DipnLik é o nosso leal companheiro, nestas sessões.

Num destes dias, os três mosqueteiros chegaram em casa. E o menor deles, o Zé Pedro, já foi perguntando: “Qual a boa de hoje, Fabião (eles nem me chamam de tio...)? Eu havia preparado uma surpresa para eles e ansiava que gostassem. Falei: “Sabe aquele DVD que regravei de um vídeo k7 antigo, o Robocop? Pois a gente vai ver a versão nova que fizeram , no cinema do shopping, numa super tela chamada Imax!” Foi como acender um fósforo num rastilho de pólvora! Mas, embora os gêmeos de 16 ficassem muito animados, mas o Zé Pedro, de 14 anos, fez aquela cara dela de metido, do sabe tudo, daquele moleque que vê defeito em tudo! Ele argumentou que, na maioria das vezes, ao refilmarem de um antigo sucesso das telas, ele acaba decepcionando, por isso, por aquilo... Foi meio que uma água gelada em todos nós... Para levantar o moral, enfiei um punhadão de DipnLiks na minha bolsa e fui distribuindo pelo caminho até o cinema. Se o filme decepcionasse, pelo menos ainda teríamos o amigo DipnLik!

Claro que o filme foi o máximo, não só para quem gosta destas coisas de nerd como eu. Foi realmente super! Na saída do cinema, a gente veio mexendo com o Zé Pedro, cada um com o seu pacotinho de DipnLik: “Então, o especialista em cinema gostou?” E ele carrancudo e a gente aporrinhando, para ele soltar sua opinião. Até que ele não aguentou mais e caiu na risada: ”Fabião, este filme rolou como o Dipnlik!” Fizemos cara de interrogação, de não entender e ele continuou, rindo: “Este Robocop é como o DipnLik... Voltou depois de alguns anos, mais muito melhor, com novo visual!” Caímos todos na risada e só pudemos mesmo foi dar razão a ele! E ao DipnLik, é claro!